Tá sem energia? Então essa é pra você...
Gostei! Quero ler mais notícias

Tá sem energia? Então essa é pra você...

Muito temos falado sobre ENERGIA no nosso blog e podemos dizer que ela é fundamental.
É o que nos coloca em ação e nos faz realizar.


De acordo com a Neurociência, para termos o melhor da nossa energia, precisamos fundamentalmente cuidar de 4 aspectos:
1 – Mindfulness
2 – Boas noites de sono
3 – Exercícios físicos
4 – Alimentação saudável



Fácil na teoria, mas difícil na prática. Sabe por quê?


Quando a nossa energia está baixa, ou quando estamos sob alto nível de estresse, o cérebro busca satisfação imediata e, na maioria das vezes, as decisões tomadas não são estratégicas e alinhadas às nossas metas.


No livro The Will Power Instinct, a autora Kelly McGonigal diz que as estratégias menos efetivas são jogos de aposta, fazer compras, fumar, beber, comer, jogar videogames, navegar pela internet, assistir a TV ou filmes por mais de duas horas.


E é isso o que acontece quando estamos com a energia baixa. Normalmente, não estamos no nosso melhor, não conseguimos trabalhar, nos relacionar e cuidar da mente da melhor forma. Como resultado, nos estressamos mais e, nessa condição, buscamos nos aliviar por meio da satisfação imediata…


Essa sequência de decisões e consequências cria um ciclo difícil de sair, pois nos deixa ainda mais sem energia.



Então, o que fazer e como sair desse ciclo vicioso de energia baixa?


Passo 1 – RECONHECER


Seria ótimo se pudéssemos ter um indicador de energia, como se fosse um termômetro.
Hoje em dia, as informações estão cada vez mais acessíveis. Se queremos saber quanto tempo vamos encarar de trânsito ou qual é a resposta para uma pergunta, isso está a um clique, basta uma busca rápida no celular.


E a nossa energia? Isso ainda não conseguimos medir.

Sei que há indicadores de estresse que monitoram a frequência cardíaca e até a temperatura do corpo, mas não conseguimos medir com o celular se estamos no melhor da nossa energia.


Mesmo com toda a tecnologia disponível, a melhor forma de avaliar o nível de energia ainda é o autoconhecimento, quando usamos a parte nobre do cérebro para entender como estamos e como nos sentimos.


Aproveitando que você está lendo esse texto… Vamos fazer um teste?

Como saber se você está no melhor ou no pior da sua energia?

    • Está se sentido cansado? Irritado? Sem tolerância ou paciência?
    • Está se sentido alimentado?
    • Como foi a sua última refeição? Escolhas saudáveis ou fastfood?
    • Como foi a sua noite de sono?
    • Como está a sua mente em termos de “preocupações”? Cheia ou com poucos pensamentos?

Baseando-se nessas respostas, você consegue ter uma ideia de como está neste momento.



Agora que já entendemos como mapear e fazer um diagnóstico do nível de energia, vamos para o próximo passo:


Passo 2 – FAZER ACONTECER


O que fazer quando seu nível de energia está alto?
Este é o melhor dos mundos em termos de produtividade, é o seu melhor momento…
Então, não desperdice com atividades que requerem pouca energia – tarefas passivas, como assistir televisão –, a não ser que seja um conteúdo voltado para aprendizagem.


NO TRABALHO: aproveite o pico de energia para realizar atividades que requerem alta concentração.


Crie – escreva textos, novas ideias e/ou relatórios
Aprenda – estude e desenvolva novos aprendizados
Entenda – analise as situações e crie estratégias
Decida – discuta possibilidades de alto impacto e tome decisões


NOS RELACIONAMENTOS: aproveite para ter conversas profundas e mais sérias. Quando estamos bem e com energia, temos maior autocontrole. Uma possível dificuldade para aproveitar esses picos de energia nos relacionamentos é que nem sempre a outra pessoa também está no melhor dela para ter uma conversa. Uma dica é tentar compreender e identificar qual é o melhor momento para ambos.



Agora, se você está cansado, com fome, sob alto stress, vamos à última dica:


Passo 3 – SABER PARAR


Haverá momentos em que você estará no pior da sua energia. É importante conseguir identificar essa baixa para adiar algumas atividades e decisões nesses momentos de cansaço e falta de autocontrole.


TRABALHO:

- NÃO realizar atividades de alto grau de complexidade ou analíticas.
- NÃO tomar decisões de alto impacto.


RELACIONAMENTO:

- NÃO ter a famosa DR – discutir a relação.
- NÃO interferir em assuntos sérios e/ou complexos ou discuti-los.



Agora, caso você venha notando um estado constante de energia baixa, preciso lhe dizer uma dura verdade:
Se você quer que as coisas sejam diferentes, precisa criar uma rotina que possibilite ter o melhor da sua energia.


Sabendo que, nesses momentos de baixa, seu cérebro foi desenhado para buscar satisfação imediata e que essas escolhas não são tão positivas e saudáveis, é necessária uma dose de esforço para se forçar a escolher o que realmente pode aumentar a sua energia.


De acordo com a APA (American Psychological Association – Associação Americana de Psicologia), as estratégias mais efetivas para aliviar o estresse são: praticar esportes, rezar ou fazer parte de grupos religiosos, ler, ouvir música, passar um tempo com amigos ou família, receber uma massagem, caminhar ao ar livre, meditar, praticar yoga ou dedicar-se a algum hobby criativo.



Tenho observado muitas pessoas que estão constantemente cansadas, constantemente correndo, constantemente sem energia… E o pior é que aceitam essa condição como se não houvesse nada a ser feito para que a vida fosse diferente.


Realmente, não tem milagre.

É preciso atitude, é preciso ação, é preciso buscar algo que realmente fará a sua energia melhorar.



Mas, sim, é possível… Então, ficam aqui 2 pontos para sua reflexão:

      • Procure ser estratégico e, sempre que possível, aja de acordo com seu nível de energia.
      • O que você pode fazer para aumentar a sua energia?

Lembre-se que satisfação de curto prazo pode te deixar ainda mais cansado.

 

Essas duas reflexões te ajudarão a ser mais efetivo...
Tanto na sua vida pessoal quanto profissional!





Gostei! Quero ler mais notícias