Diagnóstico Empresarial | Pensando a sua empresa de forma estratégica
Gostei! Quero ler mais notícias

Diagnóstico Empresarial | Pensando a sua empresa de forma estratégica

Em time que está ganhando, não se mexe? Para nós da BeBetter, se mexe sim!

 

Este artigo é para você que é proprietário, líder, vendedor ou tudo isso ao mesmo tempo.

 

 

Temos participado do dia a dia de muitos empreendedores, e um dos temas comuns nesse meio é o desafio em lidar com diversos papéis, atuando de forma estratégica, tanto no curto quanto no longo prazo.

 

 

Na realidade empreendedora, tudo começa com uma bela ideia, que operacionalizada se transforma em um negócio próprio. Aí é preciso produzir, vender, receber, ter resultados sustentáveis e gerenciar pessoas para que a ideia se torne rentável. O maestro de toda essa orquestra é o empreendedor, que passa a maior parte do tempo fazendo malabarismos na tentativa de equilibrar as variadas funções.

 

O papel do empreendedor como “vendedor” acaba muitas vezes assumindo a prioridade com o objetivo de garantir a sobrevivência do negócio. No entanto, para que as vendas se concretizem, muitas outras questões precisam ser gerenciadas: marketing, publicidade, logística, capacitação do pessoal da linha de frente e operacional, engajamento das pessoas – que, cá entre nós, sabemos não ser tarefa fácil. E ainda é preciso estar antenado no mundo lá fora, afinal de contas, empreendedores devem ficar por dentro de tudo, olhando sempre para o futuro, reinventando a empresa para seguir as tendências, não é assim?

 

 

 -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

 

 

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DO MUNDO “VUCA”?

 

Essa é uma sigla, em inglês, que quer dizer que o mundo muda em velocidade acelerada e com destino incerto.

 

V – Volatility (volatilidade)
U – Uncertainty (incerteza)
C – Complexity (complexidade)
A – Ambiguity (ambiguidade)

 

 

Reconhecer essas características no mundo e no mercado é um passo importante e precisamos pensar as empresas à luz da forma como cada um desses fatores impacta no negócio.

 

Só assim é possível manter sua empresa rentável e viável, gerando a sustentabilidade necessária.

E qual é o desafio do empreendedor neste mundo VUCA? Dar conta de todos os papéis!

 

 

 -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

 

 

O QUE FAZER PARA LIDAR EFICAZMENTE COM TODOS ESSES PAPÉIS?

 

A resposta para essa pergunta é a que normalmente recebemos: DEPENDE!

 

Depende das suas prioridades, do momento do seu negócio, de quais são as metas…

No entanto, mais importante do que ter essa resposta em formato de fórmula mágica é encontrar o equilíbrio que seja ideal para você e para a sua empresa.

 

O ponto aqui é você sair do modo desespero e parar de focar no que “grita mais alto”.

 

Quando esse modo está acionado, as decisões não são pensadas estrategicamente, o que acaba levando a consequências muitas vezes desastrosas no curto e longo prazo para sua empresa e também no seu bem-estar, pois manter a saúde mental tentando fazer esse malabarismo desordenado não é fácil.

 

 

 -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

 

 

VOU TE DAR UM EXEMPLO

 

Um dos clientes que atendemos recentemente é dono de uma empresa de sucesso.

Apesar de ter uma boa equipe de vendas, ele é responsável por 50% das vendas atuais.

 

Até aqui tudo certo: está entrando dinheiro e a saúde financeira atual da empresa é espetacular.

 

Qual é então o problema ou o grande risco? A sustentabilidade desse negócio pensando a longo prazo.

Fora as outras oportunidades de maximizar o potencial da empresa que estão sendo perdidas. Ele é um ótimo empreendedor, tem ideias incríveis que poderiam gerar excelentes novos negócios, mas… falta tempo.

 

Tempo que seria destinado a desenhar e implementar as estratégias, pois, como o foco está concentrado só no curto prazo e em atender à demanda dos clientes, ele exerce a função de um vendedor, gastando 90% do tempo com os clientes atuais e sobrando apenas 10% para cuidar das questões estratégicas, das pessoas, dos processos e tudo mais que uma empresa precisa para se sustentar e se reinventar.

 

Ele mesmo nos disse: Se eu tivesse tempo para implementar minhas ideias, poderia triplicar o faturamento…”.

 

Esse caso que relatamos é um problema bom de resolver, pois não falta dinheiro no caixa. Mas temos vários outros casos de clientes que estão no modo desespero, porque percebem que precisam fazer algo diferente para ter mais resultados, mas não sabem por onde começar.

 

Muitas vezes temos a consciência de que precisamos mudar o jogo, mas a questão é:

 

COMO NÓS PODEMOS MUDAR ESSE CENÁRIO?

 

 

 -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

 

 

As próximas dicas foram desenhadas para ajudá-lo a tirar o uniforme de bombeiro – que passa a maior parte do tempo apagando incêndios e resolvendo o mais urgente – e começar a atuar de forma mais estratégica, implementando ações que realmente fazem e farão a diferença.

 

 

 

Diagnóstico Empresarial

 

 

 

Passo #1  – Faça uma pausa e comece com o diagnóstico

 

Não tem outro jeito. Sabemos que o tempo é um recurso extremamente escasso e de muito valor, mas você precisa pausar e destinar algumas horas para refletir e voltar melhor para o seu negócio.

 

Nessa primeira etapa, sugerimos que dê um passo atrás, se distancie das demandas do dia a dia, para fazer uma ANÁLISE. Este primeiro passo é essencial, pois o resultado de hoje não é garantia do resultado de amanhã. Precisamos agir de forma mais estratégica e alinhados àquilo que foi desenhado para nossa vida e/ou para a empresa.

 

 

Faça um raio X, ou seja, analise em detalhes a sua empresa. Você pode trabalhar nisso em dois momentos. Sugerimos que em um deles seja feito com a ajuda da sua equipe. Avalie algumas dimensões importantes para o seu negócio. Em nossos workshops auxiliamos empreendedores nessa atividade, procurando entender o que, para nós, são os principais aspectos de gestão:

 

➜  VISÃO · MISSÃO · VALORES

➜  PROCESSOS E ROTINAS

➜  GESTÃO FINANCEIRA

➜  PRODUTIVIDADE

➜  TECNOLOGIA

➜  ESTILO DE LIDERANÇA

➜  PESSOAS ENGAJADAS

➜  ESTRATÉGIA DE VENDAS

➜  CAPACITAÇÃO

➜  COMUNICAÇÃO

➜  EXPERIÊNCIA DO CLIENTE

 

 

 

Passo #2 – Encontre as dores

 

Ainda pensando na metáfora da radiografia, tente descobrir onde está a dor, ou seja, quais são as dificuldades.

Lembre-se de que existem diferentes tipos de dores: as suas, as do seu cliente direto, as dos clientes indiretos, as que o seu cliente cura nos clientes dele, as que o seu cliente ou o cliente dele ainda não sabe que têm.

 

 

Dica para o passo #2  – Peça ajuda aos universitários

 

A dica aqui é “trocar ideias”, sondar outras opiniões, buscar por diversidade cognitiva, ou seja, pessoas com ideias além das suas. Faça um benchmark com negócios similares e também diferentes; analise as tendências.

 

Esse é o momento para sair da própria caixa e ampliar a sua visão de mundo antes de sair fazendo.

 

Multiplique os dados, busque mais informações. O universo digital é global, então podemos ter acesso às fontes do mundo inteiro. Valorize esses dados na gestão do seu negócio, pondere e veja como e onde está a sua empresa hoje.

 

Analise também a concorrência, conheça seus principais competidores. Essa é uma excelente oportunidade para entender melhor as possíveis estratégias a fim de fortalecer aquilo que é o seu diferencial.

 

 

 

Passo #3  – Categorize e analise por etapas

 

Uma boa dica para analisar a radiografia que você fez nos passos anteriores é categorizar o diagnóstico para conseguir estruturar melhor a análise da sua empresa.

 

Nossa sugestão é: categorize os dados.

 

Encontre uma metodologia que facilite essa categorização. Nós da BeBetter utilizamos o mindmap como método, no aplicativo MindMeinster. Independentemente da técnica, o importante é que você consiga agrupar esses dados para facilitar a avaliação.

 

 

 

Passo #4  – Estabeleça um plano

 

Após categorizar, é hora de estabelecer um plano.

Mas, antes disso, examine cada categoria com base no impacto de se estabelecer uma estratégia para cada uma delas e os recursos necessários para implementação. Esse passo o ajudará a estabelecer as prioridades e entender quais esforços você deve direcionar – ou não – para as categorias.

 

Procure focar seus esforços nas mudanças de alto impacto e poucos recursos necessários. Normalmente, essas são as mais fáceis. Os passos seguintes dependerão da sua disponibilidade de recursos com foco no impacto.

 

Alguns investimentos são financeiros, outros são de capacitação para você ou sua equipe, ou ainda de estrutura.

Enfim, são muitas as possibilidades, e o importante é chegar à conclusão do que precisa ser feito com o máximo de análise e dados possíveis.

 

 

 

Passo #5  – Bata um papo sério com você

 

Com certeza é importante ampliar as perspectivas, mas, ao determinar os seus objetivos e metas, ao desenhar as suas estratégias, é imprescindível que você ouça os seus instintos (listen to your gut), aquilo que você sente e às vezes não consegue colocar em palavras.

 

Esse bate-papo com você mesmo é completamente irracional, mas te ajuda a direcionar as ações e definir qual é o melhor caminho a ser tomado.

 

 

 

Passo #6  – Entenda o seu mindset (modelo mental)

 

A forma de pensar direciona a maior parte das nossas ações.

No exemplo do cliente que citamos acima, se o mindset – a forma como ele pensa – é que só ele sabe vender bem, só ele sabe como atender os clientes da empresa com maestria, possivelmente essa crença irá impedi-lo de desenvolver uma boa equipe comercial e delegar a venda para esses profissionais.

 

Se ele continuar pensando dessa forma, jamais irá se dedicar ao papel de empreendedor na “medida certa”.

 

Daí a importância de você entender o seu mindset e se precisa fazer alguma mudança para que a sua estratégia seja colocada em prática. Caso seja necessária uma mudança e você não consiga fazer esse movimento, correrá o risco de arrumar uma série de desculpas e continuar fazendo “mais do mesmo”.

 

 

 

Passo #7  – Estabeleça métricas e pontos de checagem

 

Quando chegar a hora de implementar mudanças, crie dentro do seu plano métricas e alguns pontos de checagem. Esses indicadores são fundamentais para você entender a evolução e ajustar o curso do seu plano de ação.

 

Transforme as metas de longo prazo em ações pontuais e faça uma gestão sistemática dessas metas.

 

 

 

Passo #8  – Faça pequenos testes

 

Antes de uma grande mudança, faça pequenos experimentos e avalie a viabilidade da sua ideia.

O custo de implementação de muitos projetos é geralmente alto e o tempo de implementação também. E você ainda corre o risco de, ao final do processo, perceber que ele já está defasado.

 

Pode-se testar um novo produto, um serviço diferente, novos prazos ou a qualidade de uma inovação.

A dica é, antes de sair fazendo, teste a ideia e entenda se o impacto ou os resultados são os esperados.

 

 

 

Passo #9  – Consolidação da cultura

 

A não ser que você seja uma empresa de uma pessoa só, a mudança vai depender do somatório de esforços de cada pessoa da sua equipe. Para isso, a peça final e fundamental é o alinhamento entre os seus pensamentos com todos os envolvidos.

 

Garanta que as pessoas tenham bem claro para onde estão indo e, principalmente, que conheçam os comportamentos necessários para que todos, juntos, cheguem lá.

 

 

 -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -  -

 

 

Ufa… Chegamos!

 

Este artigo ficou mais longo do que os anteriores, mas entendemos que cada passo tem grande importância no processo e que, seguindo essa rota, grandes são as chances de você realizar mudanças de impacto na sua empresa.

 

 

Para concluir, precisamos ressaltar três premissas decisivas em cada passo desse diagnóstico:

 

Dê uma pausa: dê o passo para trás sugerido no número 1. Para que todo esse processo seja concretizado, é fundamental que você se afaste da rotina cotidiana para fazer esse exercício estratégico. Se não for assim, você correrá o risco de continuar no modo habitual fazendo “mais do mesmo”.

 

Frequência: pense na estratégia de forma planejada e regular. Lembre-se sempre do seu objetivo e busque novas formas de melhorar e ter o seu negócio atualizado permanentemente.

 

A mudança é um processo contínuo. Essa característica é ainda mais forte se levarmos em consideração o conceito do mundo VUCA. Criar um plano de mudanças e melhorias será uma atividade constante se você pretende ter sucesso no seu negócio. Você vai precisar repensar e repassar os 9 passos diversas vezes.

 

Cada vez que você cura uma dor, tem uma necessidade atendida ou um cliente satisfeito, novas necessidades, demanda e expectativas serão criadas nesse cenário de agilidade. Reveja, mude e melhore com frequência.

 

Importante!

Não se preocupe, no futuro você pode realizar essa atividade em ciclos mais espaçados, por exemplo, a cada seis meses. Isso vai depender muito do seu ramo de atuação. Outra opção é ter uma empresa parceira ou profissionais capacitados para trabalhar nesse processo de diagnóstico e implementação com você!

 

Insista e persista: sabemos quanto é difícil lidar eficientemente com tantas demandas e dedicar tempo àquilo que é importante. Ainda mais difícil é se livrar de todas as intercorrências e imprevistos que acontecem para focar os objetivos que trarão resultados consistentes no longo prazo. Mas talvez essa seja a única forma de você manter a sua empresa sustentável, colocando em prática as estratégias que vão gerar grande impacto.

 

 

 

Pode ser que não seja simples escapar dos incêndios, mas garanta uma estratégia para fazer com que essas atividades aconteçam, concentre-se nos resultados que serão gerados e no que pode acontecer amanhã...

 

 

 

 

Workshop - Diagnóstico Empresarial

 

 

CONFIRA AS PRÓXIMAS EDIÇÕES E INSCREVA-SE :

 

WORKSHOP - São Caetano 11/03

 

WORKSHOP - São Paulo 24/03

 

 

 



Gostei! Quero ler mais notícias